10 fevereiro 2011

foram tempos

às vezes nem sei o que escrever, tu costumavas ser um tipo de inspiração. hoje a folha permanece intacta na mesma, e a caneta também. desviei-me do caminho que tinha traçado e parece-me que um balde de realidade caiu à minha frente, e foste tu mesmo que o mandas-te. as coisas aconteceram  de um modo que eu nunca quis, mas não vou ficar aqui a lastimar e também vou pôr a culpa em mim.
foram tempos, fui.

2 comentários:

?

penso, logo existo.
(+ detalhado aqui)