06 abril 2012

é sempre assim

a gente desiste, segue em frente, chega longe de esquecer, mas disfarça, e de repente a pessoa volta. aquela mesma que meses atrás nos fez chorar, querer desistir de tudo, aquela que fez com que não nos sentíssemos amadas. aquela mesma pessoa que nos proporcionou os melhores momentos desta curta vida, que foi motivo dos nossos sorrisos difíceis de desaparecerem, aquela que fez com que nos sentíssemos amadas. não entendo- as vezes parece loucura da minha parte, mas pensar coisas do tipo "não acredites nessas palavras, já ouviste isso antes" ou "ele não sente a tua falta" são menores do que ouvir um "estou com saudade" depois de meses distantes. parece que o coração tenta reconstruir-se com qualquer afecto que seja. vontade de sair a correr, e fazer o que fiz quando pude. necessidade de falar que não é assim que as coisas voltam. verdadeiro ou não, era bom o suficiente, tanto para enganar, quanto para trazer à vida.


7 comentários:

?

penso, logo existo.
(+ detalhado aqui)